Transtornos alimentares

Se já existe um estigma considerável se tratando de distúrbios mentais mais conhecidos, ele chega a ser muito maior em torno de transtornos alimentares. O senso comum acredita que transtornos alimentares são perfeitamente controláveis, e que seus portadores fazem isso para chamar atenção. Ledo engano: transtorno alimentar é um termo psiquiátrico usado para descrever padrões comportamentais em relação à alimentação que podem trazer prejuízos graves para saúde dos portadores. Quer saber mais sobre o assunto? Leia o artigo.

transtornos alimentares

O que é

O transtorno ou disfunção alimentar trata-se de uma síndrome psiquiátrica que tem a maior taxa de mortalidade entre todos os que existem. Caracteriza-se pelo uso de dietas restritivas ou o consumo por compulsão e o uso de métodos diversos para a perda de peso; ou até mesmo pela rejeição de alimentos diversos. Transtornos alimentares podem afetar crianças, adolescentes e adultos e embora haja prevalência de jovens mulheres entre as portadoras diagnosticadas, cresce o número de homens que também são diagnosticados com transtornos alimentares.

Sintomas comuns

Cada transtorno alimentar tem seus sintomas específicos, mas alguns servem de alerta para levar o indivíduo ou a família a procurarem ajuda.

  • Preocupação excessiva com a alimentação
  • Exercício em excesso
  • Uso indiscriminado de laxantes
  • Rápida mudança de humor
  • Agressividade
  • Oscilação de peso
  • Isolamento social
  • Perda de apetite
  • Visão muito crítica da própria aparência

Alguns transtornos alimentares

Anorexia – É caracterizada pela grande perda de massa, atingida por restrição alimentar e/ou exercícios excessivos. Também pode haver uso de técnicas purgativas na tentativa de livrar-se de calorias, sem antes ter havido um período de compulsão.

Bulimia – Bulímicos enfrentam episódios de compulsão alimentar bastante intensos, em que chegam a consumir até 8.000 kcal em um dia. Nisso se segue uma sensação de culpa tão intensa que frequentemente há uso de técnicas purgativas, exercício rigoroso ou até mesmo jejum prolongado.

Transtorno alimentar seletivo – Atingindo frequentemente crianças, o TAS faz os portadores encontrarem dificuldade em se alimentar, chegando a excluir certos grupos alimentares de sua dieta, preferir apenas certas texturas, aromas ou cores e até mesmo temperatura. Se houver tentativa de consumir outros alimentos, há náusea, vômito e engasgos.

Vigorexia – Frequentemente encontrado em homens, causa uma obsessão pelo corpo musculoso e pode levar ao uso frequente de anabolizantes e outras substâncias na busca pelo corpo perfeito.

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado por psiquiatras ou nutricionistas, e geralmente levam em conta testes psicológicos e manuais diagnósticos recomendados através de estudos na área.

Tratamento

Assim como outros distúrbios mentais, o tratamento do transtorno alimentar exige uma equipe multidisciplinar de profissionais. Para melhora da doença, é preciso acompanhamento nutricional, psicoterapia analítico-comportamental ou cognitivo-comportamental e de uso de medicação psiquiátrica, como antidepressivos. Em casos de peso muito baixo se faz necessária a hospitalização do paciente.

O uso de medicação psicotrópica tem tido pouco sucesso em relação aos comportamentos alimentares em si, mas ajudam em casos de comorbidade com outros distúrbios, como é o caso da depressão e ansiedade, ambas extremamente comuns em portadores e portadoras de transtornos alimentares.

Recomendamos para você:



1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Sem Votos Ainda)
Loading...

Comentar