Combate às estrias

Raro mesmo é ver quem não tem estrias. Seja por conta da gravidez, seja o crescimento intenso na puberdade, poucos escapam desse desconforto estético. Através desse artigo, saiba um pouco mais sobre o que são as estrias e como tratá-las.

Elas se caracterizam por um tipo de lesão avermelhada que costuma atingir nádegas, coxas, seios, quadris, costas e até nos braços. Elas surgem por conta do rompimento de fibras elásticas que dão sustentação à pele por conta de um estiramento, formando linhas na pele e que podem arder e coçar. Podendo afetar adultos, adolescentes e até crianças, as estrias não causam maiores complicações além do efeito estético, embora quando são largas e têm surgimento abrupto, podem indicar doenças endocrinológicas.

Algumas causas das estrias são o efeito sanfona, que é o ganho e perda de peso frequentes, o crescimento rápido do corpo, a gravidez, aumento muscular muito rápido e a pele seca ainda potencializa seu aparecimento. Colocação de próteses de silicone, grande aumento de peso e até desequilíbrio hormonal também podem ser causas.

estrias

As estrias são divididas em dois tipos: recentes e antigas. As estrias recentes são mais avermelhadas e surgem junto a um processo inflamatório na área afetada, podendo ocasionar coceira ou ardência. A estria vermelha oferece mais possibilidade de tratamentos, visto que na estria antiga já houve atrofia das fibras elásticas, dando a elas aparência mais esbranquiçada.

O diagnóstico deve ser feito por um dermatologista, especialista em pele, e se for o caso solicitará exames. Apartir daí, você começará a fazer o tratamento, que geralmente depende do tipo de estria e onde se encontra. As estrias não têm cura, mas há melhora significativa em sua aparência. Algumas opções de tratamento são as seguintes:

Dermoabrasão – Estimula a reorganização dos tecidos e promove melhor absorção de outros princípios ativos, mas deve ser feita por profissionais para não haver sangramento.

Laser – Causa dano térmico e pode ser utilizado também em estrias antigas. Requer poucas sessões, mas sua aplicação causa desconforto no paciente.

Subcisão – Uma agulha rompe a fibrose e causa um hematoma no local da estria, o que promove reorganização dos tecidos.

Ácido – O uso mais comum é através de cremes contendo ácido retinóico, que pode ser feito em casa mesmo. Estimula a produção de colágeno na região afetada.

Mesoterapia – Trata-se de uma subcisão mas acompanhada do preenchimento da estria com substâncias que estimulam o colágeno a preencher os sulcos, estreitando-as.

No final o melhor tratamento para a estria acaba mesmo sendo a prevenção de seu aparecimento. Para fazê-lo, é só adotar algumas práticas no seu dia a dia:

Hidratação sempre – Não importa seu tipo de pele, abusar do creme hidratante é essencial. Na gravidez o cuidado deve ser ainda maior, e você pode investir até em óleos vegetais, como o de amêndoas. Além disso, a hidratação interna também é importante: consuma de dois a três litros d’água por dia.

Controle seu peso – Evite o efeito sanfona e o ganho de peso muito grande cuidando de sua alimentação e rotina, buscando fazer alguma atividade física.

Recomendamos para você:

Share this post

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Comentar