Arginina

A arginina é um aminoácido não essencial e, assim como outros aminoácidos, está presente especialmente em alimentos ricos em proteínas, como queijo e iogurte, na castanha-de-caju e feijão, por exemplo. Ela pode ser usada como suplemento nutricional para reforçar o sistema imunitário, ajudar na cicatrização, melhorar a função sexual, proteger o organismo de doenças cardiovasculares e ainda melhorar o cansaço mental.

Os principais alimentos ricos em arginina são: iogurte, queijo, pão de trigo integral, uva-passa, castanha-de-caju, castanha-do-pará, nozes, avelã, feijão, milho, cacau e aveia. O herpes pode ter relação direta com o consumo de alimentos ricos em arginina, pois, este aminoácido aumenta a replicação do vírus, então, aconselha-se não ingerí-los durante o herpes.

arginina

Indicações e contraindicações da Arginina

A Arginina é indicada para regeneração cutânea de problemas como úlceras de decúbito, suplemento nutricional em dietas pobres em proteína, fadiga cerebral e física.

É contraindicada em pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula, diabéticos, pessoas com problemas cardíacos e mulheres grávidas ou amamentando.

Funções da Arginina

Suas principais funções são: desintoxicar e melhorar as defesas do organismo, ajudar a formar grande número de hormônios, favorecendo o crescimento muscular infantil e do adolescente, bloquear o crescimento de tumores, além de combater a fadiga física e mental.

Sua importância está na manutenção dos responsáveis pela defesa imunológica e na cicatrização de feridas. A arginina ainda está presente no processo de síntese do óxido nítrico, o qual produz a vasodilatação, levando mais sangue e oxigênio para tecidos e órgãos, o que contribui para a saúde destes. Pesquisas demonstram, inclusive, que a arginina é eficaz para reduzir sintomas de ansiedade.

Todavia, seu uso irregular pode gerar efeitos colaterais como dor de cabeça, diminuição da sensibilidade, náusea, vômito, cólica e inchaço da barriga.

Arginina e a musculação

Este aminoácido é usualmente usado por atletas a fim de reduzir o período de recuperação entre os treinos, aumentar a força e o desempenho durante o exercício físico. A arginina funciona como intermediária da síntese do fosfato e da creatina, importantes agentes na explosão de força durante os treinos, ajudando também na recuperação dos músculos após o período de atividade e ainda fornece maior fluxo sanguíneo para as regiões mais tensionadas.

O NO2 é estimulado em seguida à suplementação com arginina, então deve se consumi-la antes das atividades físicas. Além disso, ela ainda auxilia na estimulação de hormônios de crescimento (GH) responsável pelo estímulo ao aumento de massa magra. Podemos concluir então, que a arginina eleva a capacidade de realização dos exercícios, contribuindo com a produção de proteínas.

Recomende-se consumir a arginina duas vezes ao dia: a primeira dose, logo ao amanhecer; a segunda, após o treino. Cada atleta ingere uma quantidade adequada ao seu organismo, por isso antes de consumir esse aminoácido, procure um médico.

Arginina para os cabelos

A arginina também está presente na queratina que ajuda no crescimento dos fios. Ela pode ser adquirida na alimentação ou aplicada diretamente nos cabelos, que a absorvem rapidamente pelo baixo peso molecular e uma carga positiva dupla.

Ela estimula os cabelos e desobstrui o bulbo ao reativar a microcirculação sanguínea, o que favorece a troca de nutrientes entre a raiz e os fios, e também diminui a queda dos cabelos. Assim, a substância protege a fibra capilar dos desgastes externos e ajuda os fios a crescer mais resistentes e saudáveis.

Recomendamos para você:

Share this post

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Comentar